A 73ª Zona Eleitoral de Laje do Muriaé cassou os diplomas do prefeito Rivelino da Silva Bueno e de seu vice, Marcos Francisco Fonseca Alvim, após a dupla ter sido acusada de abuso de poder político e captação ilícita de sufrágio na eleição municipal de 2016. A Ação de Investigação Judicial Eleitoral foi proposta pelo PMDB, partido de José Eliezer Tostes, candidato derrotado no pleito passado, que apontou o desvio de finalidade na nomeação de cargos de assessor, além de duas ocorrências de compra de voto.

Em sentença, o juiz Glicério de Angiolis Silva, impõe ainda à Rivelino Bueno, oito anos de inegilibidade, além de multa de pouco mais de R$ 35 mil. O magistrado também cassou o diploma do vereador Eudócio Moreira Cardoso, lhe impondo multa de R$ 17.568,29. A decisão publicada nesta terça-feira (25) cabe recurso e os réus, poderão recorrer em seus respectivos cargos.

Rádio Sintonia / Fonte: da Rádio Natividade