Passando por graves problemas financeiros, a Associação de Pais e Amigos de Excepcionais de Natividade (APAE), corre o sério risco de fechar as portas. A situação é tão complicada, que seus cerca de 20 funcionários, ainda não receberam sequer os salários de janeiro, acumulando cinco meses de atrasados. Conhecida pela excelência no atendimento, a instituição sofre com o atraso nos repasses por parte do poder público, sobretudo o estado, que desde fevereiro de 2016, não transfere sequer um único centavo. De acordo com o presidente Romário Francisco da Costa, a situação está insustentável.

– Nossos funcionários não tem mais como segurar! Estão há cinco meses sem receber. São pessoas extremamente compreensivas, mas que assim como tudo mundo, tem suas contas a pagar. Fizemos uma redução de cerca de 27% na folha de pagamento, mas o grande problema é que os recursos não estão chegando. O estado, por exemplo, cancelou o convênio com a FIA, mas não pagou os atrasados. Estamos agora, tentando sensibilizar o governo municipal, que também tem verbas a nos repassar, – destacou Romário, que nesta próxima segunda-feira estará concedendo entrevista ao vivo à Rádio Natividade.

De acordo com a diretoria da APAE, existe o risco até mesmo de faltar alimento para servir as refeições dos assistidos. Qualquer doação poderá ser entregue na sede da instituição, no bairro Morada do Engenho.

Da Rádio Sintonia / Fonte: da Rádio Natividade