A crise política que o país atravessa, resultante de uma enorme cultura de corrupção em todas as esferas do poder e áreas da sociedade, desperta as mais diferentes iniciativas. Há aproximadamente dez dias, um general do Exército falou em intervenção militar para combater esses crimes, e agora, o deputado federal Cabo Daciolo (PTdoB-RJ) manifestou apoio à ideia.

“O Congresso Nacional é uma grande mentira, uma quadrilha. Tudo o que se vota aqui é contra o povo. A maioria das pautas votadas aqui são medidas provisórias, então temos o Executivo executando e o Executivo legislando”, criticou Daciolo, em um vídeo publicado no Facebook.

Toda a história em torno de uma nova intervenção militar no país começou quando o general Antonio Hamilton Mourão defendeu a ideia em uma palestra dada em um evento da maçonaria, em Brasília (DF), segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

“Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso. […] Então, se tiver que haver, haverá [ação militar]. Mas hoje nós consideramos que as aproximações sucessivas terão que ser feitas”, afirmou o general na ocasião.

Na visão do deputado evangélico, a intervenção não caracteriza ditadura, e que na verdade, a situação atual do país é ainda pior que uma eventual tomada de poder pelos militares: “A pior ditadura que nós podemos enfrentar é a que nós estamos enfrentando hoje, que é a da falsa democracia”, pontuou Daciolo.

Diante desse cenário, Daciolo afirmou ainda que o Congresso Nacional deveria ser fechado para que os políticos eleitos fossem devidamente investigados e punidos por eventuais crimes. Ao final, ele mandou um recado direto ao general Mourão, manifestando apoio à proposta de intervenção militar.

“Eu quero deixar aqui o meu apoio ao senhor, general, conta conosco”, disse Daciolo, salientando que sua aprovação se refere a um governo provisório para tirar os corruptos do poder. Assista:

Da Rádio Sintonia / Fonte: G.Notícias