Uma sequência de casos polêmicos tem movimentado a comunidade evangélica nos últimos meses, envolvendo cantores gospel em escândalos diversos, como uso de drogas, abandono da carreira rumo ao meio secular, e a escolha da homossexualidade como opção.

caso de Lucas Fernandes, que abraçou a ideologia de gênero, não é o primeiro no meio cristão. O artista, que agora se apresenta como Lucas Miziony, foi criado na Assembleia de Deus, lançou dois álbuns e tinha agenda até o próximo ano para se apresentar em cultos e congressos.

Abaixo, listamos outros casos de cantores gospel que assumiram sua homossexualidade depois de se tornarem conhecidos do público em geral:

Sam Alves

Sam Alves venceu o reality show musical The Voice Brasil em 2013, com uma interpretação elogiadíssima da canção Hallellujah, de Leonard Cohen. Na ocasião, apresentou-se como evangélico e filho de pastores, mas em 2017 assumiu ser homossexual.

O jovem artista já foi líder de louvor e até gravou um álbum de música gospel antes de se arriscar no programa da TV Globo, mas garantiu que não dedicaria sua nova fase da carreira para canções religiosas.

Questionado no Twitter por um fã sobre sua orientação sexual, Sam Alves não titubeou em admitir que nutre atração por pessoas do mesmo sexo. “Você é hetero?”, questionou o fã. “Não, e hoje posso responder isso”.

A declaração causou um rebuliço nos sites e blogs de celebridades na ocasião, e o artista foi procurado para esclarecer o assunto, já que anteriormente havia sido questionado sobre sua orientação e negado ser homossexual.

Trey Pearson

O cantor gospel americano, fundador da banda Every Sunday, foi casado com Lauren Pearson durante sete anos e meio, com quem teve dois filhos. No entanto, em 2016, anunciou em uma entrevista que havia lutado por quase duas décadas contra a sua sexualidade, mas estava decidido a se assumir homossexual.

Em outra entrevista, ele justificou a sua postura: “Há 6 meses aceitei ser gay. É um longo caminho, mas sinto-me grato por ter feito isso. Eu estou mais apaixonado por Cristo e a pelas Escrituras do que antes”.

Com a teologia inclusiva sendo cada vez mais populares em igrejas que adotam postura “progressista”, Trey Pearson continua se apresentando em eventos religiosos organizados por essas denominações.

Vicky Beeching

A cantora gospel Vicky Beeching assumiu publicamente que é lésbica em 2014, e disse que durante muito tempo sofreu com depressão por conta das pregações que ouvia na igreja tratando a homossexualidade como “coisa do demônio”.

Formada em teologia na Universidade de Oxford, na Inglaterra, Beeching era vista como um dos principais nomes da música na Igreja Anglicana. Compositora desde os 11 anos de idade, já vendeu milhões de discos nos Estados Unidos.

Filha de pais conservadores, Vicky Beeching afirmou ao jornal inglês The Independent que começou a se sentir atraída por outras meninas aos 12 anos de idade: “Perceber que eu estava atraída por elas foi uma sensação horrível. Eu estava tão envergonhada! Era uma luta, porque eu não podia contar a ninguém”, disse.

Vicky revelou ainda que até se assumir, nunca havia mantido um relacionamento homossexual. Após sentar para conversar com seus pais e revelar a eles a verdade, ouviu um pedido de desculpas pelos constrangimentos e chegou a um acordo com eles sobre discordarem no quesito teologia e afirmou: “Deus me ama do jeito que sou”.

Rey Boltz

O cantor, compositor, ator e escritor americano foi casado por 33 anos com Carol Boltz, tendo quatro filhos. Em 2008, após divorciar-se, revelou ser homossexual e desde então passou a frequentar a igreja Comunidade Metropolitana, adepta da teologia inclusiva.

“Eu me tornei um cristão pensando que essa era a maneira de lidar com isso, orando por 30 anos, mas no final eu ainda era gay”, afirmou o cantor, que hoje vive com outro homem.

Jennifer Knapp

A talentosíssima cantora norte-americana seja, talvez, o primeiro caso de um grande nome artístico do meio gospel a se assumir homossexual. Em 2010, Jennifer Knapp afirmou ser lésbicae que tinha dúvidas a respeito da autenticidade das traduções da Bíblia em relação à questão da homossexualidade.

Numa entrevista a Larry King, na CNN, a cantora afirmou que os crentes confiam em um texto que não está no idioma original, e disse disse que estudiosos questionaram a interpretação das palavras de origem grega que foram traduzidas para a homossexualidade.

Da Rádio Sintonia / Fonte: G.Notícias