Presidente nacional do PRB, o político era titular da pasta desde maio de 2016

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, anunciou nesta quarta-feira (3/1) que está deixando o cargo. Presidente nacional do PRB, ele entregou uma carta com o pedido de exoneração, que foi aceita por Michel Temer.

A demissão de Pereira é a terceira baixa no governo desde dezembro. Nas últimas semanas, também saíram os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Ronaldo Nogueira (Trabalho).

No texto entregue ao chefe do Executivo, Pereira explica que deixa a Pasta para se dedicar a “questões pessoais e partidárias”. Ele também destaca ações de sua gestão, como acordos feitos com a Argentina no setor automobilístico, além dos avanços nas negociações com a União Europeia.

“Assumimos um governo falido, despedaçado, com todos os índices econômicos negativos e sem perspectiva de melhora à vista. Com coragem, enfrentamos os desafios que foram impostos e hoje podemos observar um país que encontrou seu curso novamente – apesar das dificuldades políticas vivenciadas”, escreveu, ainda, o agora ex-ministro.

Bispo licenciado e presidente nacional do PRB, Pereira estava à frente do ministério desde maio de 2016, quando Temer assumiu interinamente a Presidência da República com o impeachment de Dilma Rousseff.

Ele é suspeito de ter recebido propina do empresário Joesley Batista. O dono do frigorífico JBS gravou uma conversa na qual o ex-ministro não fala em dinheiro, mas menciona números. Marcos Pereira sempre negou as acusações.